Entra Na página do Yoga de Leiria

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A alma do poeta

Quando o poeta dá um passo, imóvel fica o mundo ao vê-lo passar
Quando para o poeta, canta e vibra a natureza para acolher a sua meditação
Quando ele fecha os olhos, tudo se apressa para fluir dentro dele e ocupar o íntimo espaço do seu coração
Quando volta as abrir os olhos, entra a luz com tanta força que projecta a sua alma para fora.
É por que tudo fala que se cala o poeta, e quando ele fala, é para ensinar a música do silêncio
Por não conhecer a mentira, ele ri e chora, e por isso, sabe convidar a alegria sem rejeitar a triste hora.
Quando nos parece que ele pensa, em verdade ele dispensa, porque sabe que o tempo dirige o tormento do vento.