domingo, 7 de outubro de 2012

A liberdade da poesia

Com as grades da rima e do verso
Assim mesmo a poesia é mais livre
Do que a filosofia e o seu texto
Em que a verdade formulada agride.

Ela não receia a mentira,
Sabe que a verdade também se inventa
No ego de quem não toca a lira
E carrega como formiga a ideia da semente.

Tenho em mim as duas vertentes
E o jogo entre o sol e a sombra se inverte
No espaço e no tempo, os regentes
Da ideia e do sentimento que me aperta.

A contrariedade

A contrariedade faz da emoção uma rocha na praia lisa do bem-estar. Chocam nela as ondas da vida criando redemoinhos de confusões e crate...